Teorias e Sistematização da Assistência de Enfermagem

Nesta disciplina iremos abordar :
 
a contextualização da Enfermagem como profissão utilizando os Modelos Teóricos de enfermagem e a Sistematização da Assistência de Enfermagem;
 
a Teoria das Necessidades Humanas Básicas de Wanda Horta como fundamentação para o processo de cuidar; e
 
 os aspectos que envolvem a inserção do paciente no contexto hospitalar.
 
 

VISÃO GERAL DAS TEORIAS DE ENFERMAGEM

CONCEITOS

Teoria de enfermagem é uma conceituação articulada e comunicada da realidade inventada ou descoberta na enfermagem com a finalidade de descrever, explicar, prever ou prescrever o cuidado de enfermagem.
 
Teoria sugere uma direção de como ver os fatos e os eventos.Uma estruturação criativa e rigorosa de idéias que projetam uma tentativa, uma resolução e uma visão sistemática dos fenômenos.
“Qualquer profissão necessita de um corpo de conhecimentos para ser aplicado à sua prática” (George, 1993)
 
Definição:
A Teoria é a geração do conhecimento de enfermagem para uso na sua prática.
 
 
Primeiros Ensaios:
- EUA: a partir de 1950
- Brasil: 1970 com Wanda de Aguiar Horta
 
Busca: Base de Conhecimentos Teóricos, validação do Senso-Comum, Prestígio à Ciência e Pesquisa.
 
 
A enfermagem trabalha com
 
METAPARADIGMAS
 
que nada mais são um conjunto de informações advindas do indivíduo para analisar o problema do mesmo e qual a melhor intervenção na solução desse problema.
 
A ENFERMAGEM PREOCUPA-SE COM QUATRO CONCEITOS PRINCIPAIS:
 
  • A pessoa:  pode representar um indivíduo, uma família, uma comunidade ou toda a humanidade é aquele que recebe o cuidado de enfermagem.
  • A saúde: representa o estado de bem estar decidido, mutuamente pelo cliente e a enfermeira.
  • O ambiente:  pode representar os arredores imediatos, a comunidade ou o universo com tudo que contém.

 

  • A enfermagem:  é a ciência e a arte da disciplina.

O NÍVEL DE UMA TEORIA

 
NÍVEL 1: isolamento de um fator.
 
NIVEL 2: correlação de fatores de tal maneira que ele representem uma situação maior.
 
NÍVEL 3: explica e prevê como as situações estão relacionadas.
 
NÍVEL 4: exige como e por que as situações estão relacionadas de maneira que, quando a teoria for usada como guia, possam ser produzidas situações valiosas.
 
CATEGORIAS DAS TEORIAS
 
 
  • Teóricos orientados para as necessidades humanas/ problemas:

—Enfocam as necessidades e os problemas que os pacientes/clientes têm, buscando preenchê-los e corrigí-los utilizando o processo de enfermagem.

 —O cuidado está centrado na independência da pessoa e na satisfação das suas necessidades fundamentais, ou na sua capacidade delegar a cabo os seus autocuidados.

Teoristas: Florence Nightingale; Lydia Hall; Jean Watson;
  Virgínia Henderson; Dorothea Orem; Faye Abdellah.
 
  • Teóricos orientados para a interação:

-Enfocam o processo de comunicação no preenchimento das necessidades do paciente/cliente. As enfermeiras devem possuir conhecimentos sistemáticos com a finalidade de avaliar as necessidades de ajuda da pessoa, formular um diagnóstico de enfermagem e planificar uma intervenção. O cuidado é um processo humanitário e não mecânico.

Teoristas: Hildegard Peplau; Josephine Paterson e Loretta Zderad; Ida Orlando; Joyce Travelbee; Erickson, Tomin e SwainErnestine Wiedenbach; Imogene King; Boykin e Schoenhofer.

  • Teóricos do campo de energia / ser humano unitário:

-Acreditam que as pessoas são campos de energia em constante interação com o seu ambiente ou com o universo. Baseada no contexto da orientação da abertura para o mundo e no paradigma da transformação.

-A escola do ser humano unitário  considera um processo de trocas contínuo, na qual a pessoa e o enfermeiro são colaboradores, e é a própria pessoa quem decide o rumo das trocas. A saúde é a realização contínua de uma pessoa como ser humano unitário e a enfermagem está integrada na saúde e faz parte do processo da expansão da consciência.
 
Teoristas: Martha Rogers; Margaret Newman e Rosemarie Rizzo Parse.
 
  • Teóricos orientados para os sistemas:

-Sugerem que o homem é composto de muitas partes ou subsistemas que, quando juntos, são mais diferentes do que sua soma.

Teoristas: Dorothy Johnson; Callista Roy; Betty Neuman; Myra Levine; Madeleine Leininger.
 
CARACTERÍSTICAS DE UM TEORIA
 
  • As teorias podem inter-relacionar conceitos de tal forma que crie uma nova maneira de ver um determinado fenômeno.
  • As teorias devem ser de natureza lógica.
 
  • As teorias devem ser relativamente simples e ainda generalizáveis.
 
  • As teorias podem ser as bases para as hipóteses serem testadas ou para a teoria ser expandida.
  • As teorias contribuem para o aumento do corpo de conhecimentos gerais da disciplina implementada para validá-las.
 
  • As teorias podem ser usadas por profissionais para orientar e melhorar a sua prática.
 
  • As teorias devem ser consistentes com outras teorias validadas, leis e princípios, mas devem deixar abertas as questões não-respondidas, que devem ser investigadas.
 
ANÁLISE E AVALIAÇÃO DA TEORIA
 
— Exame de conteúdo; avaliação refere-se à crítica ou ao julgamento a teoria.
 
FLORENCE: primeira grande teorista
 
 
 
 
Contexto Histórico:
  1. guerra,
  2. sujeira,
  3.  peste,
  4. mortes
  5. Condição social da mulher
 
Conceito Básico: AMBIENTE
 
  1. Ventilação
  2. Água
  3. Limpeza
  4. Calor/Luz
 
 Criar Condições para a
 Natureza Agir!
 
 
 
Teoria de Dorothea Orem
Teoria do Autocuidado
 
 
 

HISTÓRICO
 
Dorothea Elizabeth Orem: Enfermeira – nasceu em Baltimore, Maryland (1914 – EUA). Graduação em 1939, 1945 mestre em enfermagem – docência, diretora de serviços de enfermagem, projetos de treinamento em enfermagem, conselho de Saúde.
 
1958 – primeira publicação: começou a trabalhar a questão do autocuidado como conceito para a Enfermagem.
 
1971 – Desenvolvimento dos conceitos de auto-cuidado- publicação de suas idéias sobre o Processo de Enfermagem, propondo três teorias articuladas, melhor explicadas em 1985:
 
1ª Foco no indivíduo – Concepts of Practice
 
2ª Unidades multipessoais (1980)
 
3ªTeoria geral de enfermagem de Orem (1985):
 
Teoria geral de enfermagem de Orem (1985)
 
(1) a teoria do autocuidado – prática realizada pelo próprio indivíduo;
 
(2) a teoria do déficit do autocuidado – necessidade de intervenção;
 
(3) a teoria dos sistemas de enfermagem – necessidades e capacidades para realizar o autocuidado – terá intervenção ou não.
 
OBJETIVO
  • Promover o atendimento às necessidades do ser humano através do desenvolvimento do autocuidado no continuum saúde-doença.
 
O continuum saúde-doença é entendido como a prática de atividades que o indivíduo inicia e realiza em seu próprio favor na manutenção da vida, saúde e bem estar
 
 
 

AUTO-CUIDADO
 
Conceito de auto-cuidado
 
“Qual é a condição existente numa pessoa, quando essa pessoa ou outras  pessoas determinam que deve submeter-se a cuidados de enfermagem?”
 
Resposta:
  1. O enfermeiro é o outro eu.
  2. Enfermeiro oferece ajuda.
 
 A enfermagem tem como especial preocupação a necessidade de ações de autocuidado do indivíduo, e o oferecimento e controle disso, numa base contínua para sustentar a vida e a saúde, recuperação da doença ou ferimento e compatibilização com seus efeitos”.
 
Pressuposições Básicas
 
  • Orem considera que as pessoas desejam e podem se tornar aptas ao seu autocuidado, podendo os profissionais de enfermagem assumir a tarefa quando não estão em condições de fazê-lo:
  • A enfermagem é um serviço de ajuda deliberado;
  • As pessoas são capazes e desejam desempenhar autocuidado para si e para os outros dependentes;
  • Autocuidado é parte da vida necessária à saúde;
  • Educação e cultura influenciam os indivíduos;
  • Autocuidado é aprendido através da interação humana e comunicação.
 
 A teoria de Orem baseia-se no desenvolvimento do autocuidado através do:

 
 
 
Estabelecimento do
Diagnóstico de enfermagem
 
 
 
 
Avaliação e reavaliação do plano de ações
 
 
 
 
Planejamento da assistência ao paciente e família
 
 
 
 

 A teoria geral de enfermagem de Orem
 
Autocuidado
Atividade de autocuidado
Exigência terapêutica de autocuidado
Requisitos para o cuidado
 
Autocuidado- “é a prática de atividades, iniciadas e executadas pelos indivíduos, em seu próprio benefícios, para a manutenção da vida, da saúde e do bem estar.”
 
 
As ações do autocuidado tem por finalidade a satisfação das necessidades humanas, através da realização de atividades básicas e instrumentais de vida diária.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Referências Bibliográficas:
 
—GEORGE, J.B. e col. Teorias de Enfermagem – dos fundamentos à prática profissional. 4ºed. Porto Alegre: Artmed, 2000. —TOMEY, A. M. & ALLIGOOD, M. R. Nursing Theorists and their Work. 4ª edition. St. Louis: Mosby, 1998
 

Uma resposta to “Teorias e Sistematização da Assistência de Enfermagem”

  1. Rafael ou Rafinha Says:

    nossa otimos comentarios,vai ser muito uteis pra mim,pois logo começo a fazer enfermagem

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 34 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: