Farmacologia

Objetivos da disciplina:

Nesse curso, você estudará os principais conceitos de farmacologia,vias de administração de medicamentos, farmacocinética e farmacodinâmica. Estudará também os principais psicotrópicos e as principais classes de fármacos que agem sobre o sistema cardiovascular.

A Farmacologia é a ciência que estuda os fármacos e os medicamentos sob todos os aspectos, isto é, fonte, preparo, conservação, administração, absorção, distribuição no organismo, mecanismo de ação, efeitos, segurança, acesso da população, custo dos tratamentos e seus benefícios, efeitos tóxicos, entre outros.

A farmacologia pode ser desmembrada em diversas áreas, tais como: farmacognosia, química farmacêutica, farmacotécnica, farmacoeconomia, farmacoepidemiologia, farmacoterapia, farmacodinâmica, farmacocinética e toxicologia, por exemplo.

Os medicamentos podem ser usados de forma:

  • Preventiva (profilática) – evita o aparecimento de doenças ou diminui sua gravidade.
  • Diagnóstica – ajudam a decidir o que está causando sintomas e a localizar a área afetada (contrastes, por exemplo).
  • Terapêutica – ajudam no tratamento de doenças e no alívio dos sintomas de forma:
  • Curativa ou específicaremovem ou eliminam o agente causal da doença.
  • Paliativa ou sintomática- aliviam determinados sintomas da doença.
  • Substitutivarepõe substâncias normalmente encontradas no organismo.
  • Droga - toda substância com capacidade de modificar algum sistema fisiológico, que pode ou não apresentar propriedades terapêuticas, podendo ou não ser utilizada com a intenção de trazer benefícios para o organismo.
  • Fármaco – toda substância com estrutura química conhecida e propriedade de modificar alguma função fisiológica ou estado patológico, quando usada com finalidade preventiva, diagnóstica ou terapêutica.
  • Medicamento – produto farmacêutico com ação benéfica na prevenção ou tratamento de doenças. Segundo a OMS: toda substância ou associação utilizadas para modificar um sistema fisiológico, para benefício do organismo.
  • Remédio – todo agente de cura, seja uma substância de origem animal, vegetal, mineral ou sintética; um procedimento (ginástica, massagem, acupuntura, banhos, cirurgia); ou a fé, crença ou influência, usados com intenção benéfica.

Nesse sentido, tanto as drogas usadas no tratamento de doenças, quanto as drogas recreacionais (drogas de abuso) e as utilizadas no diagnóstico e prevenção de doenças se encaixariam nessa definição.

Alguns autores preferem evitar o termo droga e substituí-lo por fármaco, por causa da conotação pejorativa que a palavra adquiriu com o tempo.

Na maioria das vezes, podemos intercambiar os termos droga, fármaco e medicamento, já que as diferenças, apesar de existirem, são bastante sutis. Já o termo remédio, deve ser evitado em textos acadêmicos e profissionais sobre o tema.

  •  Especialidade Farmacêutica: produto contendo um ou mais fármacos, produzidos pela indústria, com fórmulas aprovadas e registradas no Ministério da Saúde.
  • Princípio Ativo (PA): toda substância existênte na composição de um medicamento que é responsável pelo seu efeito terapêutico. Geralmente é utilizado como sinônimo de fármaco, substância ativa e nome genérico.
  • Excipientes: meio sólido farmacológicamente inativo no qual o PA está disperso, num comprimido, o excipiente pode ser amido, por exemplo.
  • Veículo: Meio líquido no qual o PA está disperso, Um xarope é um veículo, assim como o diluente de uma ampola.
  • Adjuvante: substância adicionada ao medicamento que reforça a ação do PA, facilita sua absorção ou sua ação. Por exemplo, óleo de amêndoas em alguns cosméticos facilita a absorção de alguns PA.
  • Corretivo: substância utilizada para melhorar o sabor de um medicamento, tornando-o mais palatável. Os edulcorantes podem ser considerados corretivos de sabor.
  • Edulcorantes: Substância utilizada para conferir sabor doce a uma preparação farmacêutica, é considerado um corretivo de sabor.
  • Intermediário: substância que evita incompatibilidades farmacêuticas, por exemplo, uma substância que impede que dois PA se misturem.
  • Medicamento Genérico: é o medicamento que não possui marca comercial, é vendido por meio do nome de substância ativa e é bioequivalente ao medicamento de referência. Ou seja, o genérico para ser assim chamado, presica passar por testes que demonstrem que sua biodisponibilidade no orgânismo é idêntica ao medicamento de referência. Deste modo, podemos afirmar que os dois possuem a mesma eficácia clínica, portanto são intercambiáveis.

  • Biodisponibilidade: Medida que se relaciona com a quantidade absorvida e à velocidade de absorção de um PA pelo orgânismo. É definida como a quantidade ou a porcentagem da droga ativa que se apresenta disponível em seu local de ação referentes à determinada dose e forma farmacêutica.

Fármacologia:

Terminologias:

Vias de Administração:

 

Indicação de leituras complementares:

MYCEK, M.J.; HARVEY, R.A; CHAMPE, P.C. Farmacologia Ilustrada, 2ed: Porto Alegre:Artmed; 1998.

 GOODMAN, GILMAN, A. As bases farmacológicas da terapêutica. 9 ed. São Paulo:McGraw-Hill, 1996.

PENILDON, S. Farmacologia, 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2002.

RANG, H. P.; DALE, M.M. Farmacologia, 5ed, Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2004.

PAGE, C. P.; CURTIS, M.J.C.; SUTTER, M.C.; WALKER,M.J.A; HOFFMAN, B.B. Farmacologia Integrada, 1ed, Porto Alegre: Artmed, 1999.

ZANINI, A.C.; OGA, S. Farmacologia aplicada. São Paulo: Atheneu, 1994.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 34 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: